-->

Birdman – As Inesperadas Virtudes da Arte

BirdmanposterThomson inconscientemente criou um novo gênero que só pode ser descrito como super-realismo. Sangue foi jorrado nos atores e plateia, literalmente. Sangue de verdade. Sangue que tem feito falta aos teatros dos Estados Unidos”.

A fala acima é dita pela ex-mulher do ex-astro do cinema Riggan Thomson já nos momentos finais de Birdman. É curioso que o “super-realismo” inventado por Thomson (e noticiado pelos jornais de Nova York) seja também o gênero que melhor define um filme em que o protagonista é um antigo intérprete de um super-herói de sucesso e que vive com a voz deste herói, um enorme homem-pássaro, em sua cabeça, atormentando-o e funcionando como uma forma deturpada de sua consciência. No entanto, o realismo do mais novo filme de Alejandro González Iñárritu não reside somente nos conflitos internos de Thomson, mas sim de todas as personagens encantadoras que a obra nos apresenta ao longo de suas duas horas e do universo que rodeia essas pessoas. Aqui todos os estereótipos são abandonados e passamos a acompanhar um grupo de teatro em que cada membro possui suas peculiaridades, seus próprios questionamentos e uma sedenta vontade de deixar sua marca no mundo.

Bastidores (12) – O Que Trago do Chumbo

Fotor1118141726

Em 10 de dezembro de 2014, Dia Internacional dos Direitos Humanos, a Presidente da República apresentou o relatório final da Comissão Nacional da Verdade, responsável por investigar os abusos cometidos no regime militar que vigorou no Brasil de 1964 a 1985. Iniciado em 2012, quando da própria criação da Comissão, o relatório contabilizou um número de 434 vítimas e 377 responsáveis pelo abuso, embora estime-se que o número possa ser muito maior e atingir inclusive a casa dos milhares. Infelizmente não é possível obter os números reais da violenta ditadura que ocorreu em solo nacional, uma vez que a memória deste período se encontra mais enterrada do que nunca e poucos demonstram ter disposição para desenterrar tal memória, mesmo que estejam cientes do enorme favor que fariam a História do Brasil e, principalmente, às famílias dos que tiveram seu sangue derramado enquanto lutavam pela democracia.

Secret Garden – Angra

Angra

Secret Garden marca o segundo renascimento da banda, agora com o italiano Fabio Lione nos vocais,  posto deixado por Edu Falaschi, situação semelhante de Bruno Valverde que substitui o baterista Ricardo Confessori. Uma nova fase começa, com uma atmosfera mais pesada, mais progressiva, deixando um pouco de lado o Angra da era André Matos ou Falaschi. É uma banda nova, diferente dos outros álbuns. E nesse novo trabalho, fica mais do que claro a vontade e a capacidade que a banda de não fazer nada igual a outro disco, de estar sempre se reinventando, sempre renascendo.

Invencível – Pouco sangue e suor, mas (a expectativa de) muitas lágrimas

UnbrokenAntes muito recorrentes nas sessões de cinema, os filmes de guerra, que tiveram uma sobrevida no final dos anos 90, parecem ensaiar uma volta às telonas, agora não apenas abordando o que acontece nos campos de batalha, mas principalmente os bastidores destes. Em O Grande Hotel Budapeste de Wes Anderson, o período Entre Guerras é o plano de fundo para a excêntrica história de um hotel; O Jogo da Imitação, vencedor do Festival de Toronto, narra a genialidade de Alan Turing na Inteligência Britânica durante a Segunda Guerra Mundial, a qual também é retratada no excelente Corações de Ferro, em que um tanque norte-americano atravessa a Alemanha para caçar os soldados do país; no polonês Ida, forte candidato ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro, a Segunda Guerra também é o motivo para o encontro de uma freira com sua tia, em que as duas buscam desenterrar o passado da família, manchado pela guerra; não pode-se esquecer, claro, do maravilhoso Tangerines, em que a Guerra da Abecásia serviu como elo para a amizade entre dois inimigos.

Whiplash: Em Busca da Perfeição - O poder musical no cinema

Whiplash0Música e cinema são, na maioria das vezes, uma grande parceria. Ao mesmo tempo que a trilha sonora é parte essencial de um filme, ajudando-o a transmitir no espectador as sensações que deseja, é possível fazer obras que apoiem sua essência em números musicais, como em filmes como Chicago e o mais recente Caminhos da Floresta, assim como clássicos como Cantando na Chuva e Mary Poppins.

Há também filmes que falam sobre o universo musical, entrelaçando duas linguagens que se assemelham muito ao terem o objetivo de conduzir os nossos sentimentos e sensações. A música, entretanto, baseando-se apenas na audição, ganha doses extras de subjetividade e também de uma meticulosidade necessária, pois não há outros elementos (visuais, por exemplo) para auxiliá-la. Tecnicamente meticuloso e com o principal objetivo de adentrar no universo próprio de seus dois protagonistas, Whiplash – Em Busca da Perfeição acaba se parecendo com a própria música da qual trata; e, caso tivéssemos que defini-lo em uma única música, não sei precisamente qual seria, mas com certeza seria uma música de excelente qualidade.